29.8 C
Teresina
segunda-feira, junho 17, 2024
spot_img

Vikstar Teresina perde contrato com a Vivo e deverá demitir mais de 2 mil funcionários

Date:

spot_img

A Telefônica Vivo encerrou o contrato de prestação de serviços com a empresa de teleatendimento Vikstar. Com a decisão, a unidade de Teresina deverá demitir mais de 2 mil funcionários até junho deste ano. Trabalhadores temem não receber os pagamentos e as rescisões, caso ocorra a demissão em massa.

\"\"
Vikstar Teresina perde contrato com a Vivo e deverá demitir mais de 2 mil funcionários (Foto: reprodução internet)

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Telecomunicações no Estado do Piauí (Sinttel), João de Moura Neto, relatou que tem buscado soluções para garantir o pagamento de todos os funcionários da Vikstar Teresina. O sindicalista explicou que o contrato da empresa com a Vivo foi cancelado no dia 18 de março e a operação encerra em 18 de junho.

“A Vikstar terceirizava os serviços para Vivo, com esse fim do contrato, os trabalhadores deverão ser demitidos. Ontem, tivemos uma audiência para tentar garantir o pagamento de todos os funcionários, já que a empresa atrasa salários e também está com a contribuição social atrasada. Já faz tempo que pressionamos a Vivo para resolver a situação e consequentemente, assegurar o salário de todos. Na reunião ficou firmado que a Vikstar pagará todos os trabalhadores, a Vivo também assegurou esse compromisso”, relatou Moura.

O presidente do Sinttel pontuou ainda que, em caso da Vikstar não pagar os funcionários, a Vivo deverá ser responsabilizada por esses pagamentos. João de Moura destacou ainda que serão realizadas audiências públicas na Assembleia Legislativa do Piauí e na Câmara Municipal de Teresina sobre a demissão em massa.

“Se a Vivo comprovar que pagou tudo que deve para Vikstar, eles terão que pagar todos os trabalhadores. Nosso medo é a Vikstar receber e não concluir esses pagamentos e deixar os trabalhadores ‘na mão’. Em torno de 2,5 mil funcionários serão demitidos. Pode até ser mais porque a empresa vive contratando e demitindo pessoas todos os dias. O que temos de certeza, até agora, é que a Vivo garantiu o pagamento dos salários atrasados e que vai acompanhar a transição até o dia 18 de junho”, disse.

Fonte: Portal AZ

spot_img

Mais Notícias