Motoristas e cobradores de ônibus da zona Sudeste paralisam pela 7ª vez este ano após atraso nos salários

0

Na manhã desta segunda-feira (31/05), motoristas e cobradores de ônibus da zona Sudeste, que fazem parte do Consórcio Teresina, deflagram paralisação geral. De acordo com um representante da classe, a medida se deu após atrasos no pagamento dos salários e benefícios para os trabalhadores, em que o último pagamento teria sido no mês de janeiro.

Francisco Sousa, que é motorista e faz parte do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte Rodoviários (Sintetro), destacou que a paralisação, que já é a sétima só em 2021, está sendo cumprida por 100% dos trabalhadores, e que não há até o momento previsão para término, mas ressalta que os profissionais entraram na Justiça para marcar uma reunião com os empresários de transporte coletivo.

SOLIDARIEDADE

Com tanto tempo ser receber os salários e os benefícios, motoristas e cobradores se uniram em uma corrente do bem para montar cestas básicas e distribuir entre os funcionários. Os trabalhadores ressaltam que qualquer pessoa pode ajudar com alimentos. Um dos postos de coleta é na praça dos Correios, no bairro Dirceu. A previsão é que mais postos sejam montados. O número para que deseja ajudar é o: (86) 9 9587 2022.

\"\"
(Foto: Reprodução/TV CidadeVerde)

O QUE DIZ O SETUT

Através de nota oficial divulgada pela assessoria de comunicação do Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (Setut), o sindicato afirmou que lamenta os prejuízos causados aos que precisam do transporte coletivo, e destacou que a Prefeitura de Teresina não fez nenhum repasse de subsídios ao sistema, o que contribuiu para o não pagamento dos profissionais.

Além disso, o Setut afirma buscar alternativas para a crise no transporte público e pede que a gestão municipal possa participar de um acordo junto à esfera trabalhista.

“O Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros de Teresina (SETUT) informa que em 2021, a Prefeitura de Teresina não fez nenhum repasse de subsídios ao sistema de transporte e isso contribuiu para aumentar ainda mais as dificuldades enfrentadas pelo setor, como o pagamento aos trabalhadores, manutenção do sistema, dentre outros fatores.

O Setut defende ainda que a gestão municipal possa participar de um acordo junto à esfera trabalhista, para auxiliar na solução dos problemas enfrentados por essa categoria na cidade.

A entidade ressalta que tem buscado sistematicamente o diálogo e alternativas efetivas para solucionar a crise do sistema de transporte público e lamenta os transtornos causados à população de Teresina.”

FONTE: OITOMEIA

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui