29.8 C
Teresina
sexta-feira, junho 14, 2024
spot_img

Professora da UESPI destaca a história de Maria Firmina dos Reis em evento internacional

Date:

spot_img

A professora Algemira Mendes, professora do curso de Letras da Universidade Estadual do Piauí (Uespi), participou do 1° Salão Internacional do livro e da cultura de Genebra Cultive (SILCGC). O evento está acontecendo através do YouTube nos dias 14 até 18 de maio e reúne autores, artistas e músicos dos países lusófonos.

Organizado pelo Institut Cultive Brésil Suisse (Genebra), o SILCGC é um evento cultural e literário que tem o intuito de promover a troca de cultura entre os participantes e o público. A professora Algemira Mendes foi a coordenadora da mesa-redonda sobre a escritora Maria Firmina dos Reis (1822-1917) considerada a primeira romancista negra brasileira.

A professora desenvolve um trabalho sobre a escritora desde 2003. Ela conta que quando começou a pesquisar sobre Reis, ela não tinha seu devido reconhecimento, então hoje, apresentar seu trabalho em um evento internacional que reúne grandes nomes da Literatura Brasileira e Mundial, é algo gratificante.

“Não tenho adjetivos para descrever a importância que é apresentar e coordenar trabalhos direcionados à essa escritora, que talvez um evento inteiro não fosse suficiente para contar toda sua história. Fizemos uma construção e discussão da importância dela e de suas escrituras que são símbolo de força e luta”, ressalta.

Acompanhando a mesa redonda, o encontro virtual também contou com o Prof. Osvaldo Luís Gomes que é presidente do Instituto Histórico e Geográfico de Guimarães (IHGG) e Prof. Roberta Pedroso (UFRGS).

O professor apresentou uma visão sobre a extensão da escrita de Maria Firmina para o mundo, já a professora e doutoranda Roberta Pedroso falou sobre as múltiplas faces da escritora.

O evento está acontecendo on-line e disponibiliza todas as mesas gratuitas em seu canal no YouTube, confira.

Maria Firmina dos Reis (1822-1917)

Nascida na cidade de São Luís do Maranhão em 1822, filha de uma escrava alforriada e um pai negro, Maria Firmina foi uma escritora que adotou um posicionamento explicitamente anti-escravagista, ao contrário de outros escritores da época.

De acordo com as pesquisas da professora Algemira Mendes, foi em 1859 que a maranhense publicou seu livro “Úrsula”, que é hoje considerado o primeiro romance afro-brasileiro pioneiro da literatura antiescravista no país. Na sua escrita, existe uma pluralidade do retrato das mulheres, com exemplos que vão desde o ideal feminino do período até personagens que desafiam fortemente as convenções.

Durante 50 anos, a escritora colaborou com vários jornais maranhenses, onde publicou poesias, contos e crônicas. A maranhense foi responsável pela criação da primeira escola mista do Maranhão. A autora faleceu em 1917, aos 95 anos de idade, deixando 11 filhos adotivos e um legado para a literatura brasileira.

FONTE: UESPI

spot_img

Mais Notícias